Escuta Só #3: Gold Fields, Goldroom, Justin Jay, Owlle, Johnny Jewel e Major Lazer

Uma segunda-feira cheia.

De entrada os aussies do Gold Fields na sua estreia em mercados maiores. O single apresentado no Jimmy Kimmel segue a padronagem estética do eletropunk com marcações para pista e linhas de notas pegajosas. Um interlúdio, embora pouco original, ajuda os caras. Nem tão psicodélico quanto um Yeasayer, nem tão empolgante quanto um Is Tropical, nem tão fracos quanto um Wu Lyf. Pode sobreviver.

Da costa oeste norte-americana o nudisco de sol raiando do Goldroom. Trechos suaves de batidas que vão se colocando, aos poucos, uma atrás da outra. Tem espaço até para um repique. Vez ou outra os beats se trombam amarrados pelo melódico riff de piano. A voz da moça californiana Mereki é o tom eletropop repetido à exaustão. Meio noventista. Talvez para anteceder a volta do Daft Punk.

Seguindo para a Europa, uma passagem na versão opressiva de Enjoy The Silence feita pela francesa Owlle. A moça foi destaque de 2012 nas portarias indies do país como o LesInRocks Lab e, sozinha, faz um som interessante nessa cena etérea e hauntológica. Ouça por si só.

De volta aos Estados Unidos e passando pela Inglaterra, a versão 2-step para o novo trabalho do californiano Justin Jay. Mais um desses prodígios nascidos nos anos 90 e abençoados por algum selo. No caso, o Southern Fried, propriedade do Fatboy Slim. A edição da faixa é bem menos frenética que pancadas como “Praise You”, mas guarda a sensação de house music recém-chegado no Soho londrino.

Outro do passado revisitado ou futuro instagramado, Johnny Jewel liberou mais uma de suas produções. O mentor do Chromatics, como dito aqui, não cansa e dessa vez o ataque é pelo duo Glass Candy. Jewel sobrepôs o hip hop iconoclasta do Geto Boys ao funkeado Isaac Hayes. De lambuja os vocais lascivos de Ida No.

Fechando a lista com outro incansável, Diplo. Sob o disfarce de Major Lazer ele frita as periferias globais num tacho só de moombathom, white reggae, raggamuffin’, trap, complextro e algo que não soe tão bizarro assim. Tipo Hot Chip. Embora já sejam conhecidas de lançamentos isolados, as faixas da compilação são a primeira parte do que deve ser o próximo álbum do cara. Dá pra baixar.

Facebooktwitterredditpinterestmail
[ssba]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *