Luiz Gonzaga usava Ray-ban

Muito antes de qualquer hipster criado na Vila Madalena. Muito antes de algum fashionista viciado em SPFW. Muito antes de um coxinha acostumado a camaras e champas. Muito antes dos fritos que pisam na lama de raves. Muito antes de Tom Cruise em Top Gun. Muito antes de todos e tantos outros, havia ele: Luiz Gonzaga e seus óculos Ray-ban.

Luiz Gonzaga era tendência. Bem antes desse tipo de tendência.

Luiz Gonzaga saiu de Exu (PE), sua terra natal, na década de 30. Anos depois uma horda de gente faria o caminho dele para procurar trabalho no Rio. Ou em São Paulo. Ou em Brasília. Ou em qualquer lugar onde a pobreza beirasse a certeza, mas que tivesse beira pra água, pelo amor de Padre Cícero!

O êxodo do povo nordestino já era conhecido da velha seca, mas não dessa maneira. No meio do século havia muito por fazer nas futuras grandes cidades do Brasil.

Foi sobre esse país em construção que Luiz Gonzaga lançou sua música. A mão de obra nordestina matava a saudade da terra ao mesmo tempo que alçava às rádios e às TVs aquele que seria um dos maiores representantes da nossa música popular.

Luiz Gonzaga tocou xote, baião, forró e até tango. Antes — sempre antes — do sucesso, Gonzagão tocou outros ritmos que cabem na sanfona. O instrumento polifônico guarda tradições em muitas regiões do planeta, mas o sanfoneiro logo viu que não era gaiteiro e só podia afluir seu talento falando de onde veio.

Criou melodias sobre escalas que, não há quem diga, são o nordeste escarrado e cuspido. Letras tão valiosas quanto qualquer Graciliano Ramos ou Euclides da Cunha. Um formação musical — o trio zabumba-triângulo-sanfona é de sua autoria — ainda hoje sinônimo de ritmos da Terrinha.

Vestido como o maior anti-herói do nosso faroeste (farleste?), Gonzagão foi um dos primeiros descobridores do Brasil genuinamente brasileiros — ele e o país.

Antecipou Gilberto Gil, Caetano Veloso, Pepeu Gomes, Dodô, Osmar, Dominguinhos, Milton Nascimento, Chico Buarque, Alceu Valença, Zé Ramalho, Chico Science, Gaby Amarantos.

E de Ray-ban antecipou todos os hipsters, fashionistas, coxinhas e fritos.

Parabéns e obrigado, seu Luiz Gonzaga.

Facebooktwitterredditpinterestmail
[ssba]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *