O encontro de Jefferson Airplane e Jean-Luc Godard

Godard

Ainda sobre o 56º Grammy: a premiação também foi palco para Ringo Starr e Paul McCartney comemorarem, sem tocar Beatles, os cinquenta anos de sua primeira aparição na TV norte-americana — ou o primeiro passo na dominação global da banda.

Dali em diante seriam precisos cinco anos para que os quatro fizessem seu último show como grupo. O concerto no terraço da gravadora Apple ficou tão famoso que ofuscou um brilhante capítulo da cultura: o encontro de Jean-Luc Godard e Jefferson Airplane em Nova York.

Foi em novembro de 1968 quando o diretor francês resolveu voltar ao país norte-americano. Na França, a primavera daquele ano já morria em inverno. Nos Estados Unidos, ao contrário, Godard acreditava que encontraria a revolução.

O panorama daquele momento seria captado por ele no documentário One American Movie, cujas gravações começaram em outubro. Na internet, esse túnel do tempo, uma das cenas está disponível como making of para quem quiser ver.

No dia 30 de novembro daquele ano, no topo do hotel Schuyler, em NY, o Jefferson Airplane toca House at Pooneil Corners. O diretor francês aparece aqui e acolá no vídeo, filmando de outro prédio. Sobre o crescendo lisérgico da canção, a voz xamãnista de Grace Slick rebate nas muradas ao redor e os transeuntes viram plateia.

Ao fim de uma única música a polícia aparece para acabar com a apresentação, ao contrário do que aconteceu no show londrino dos Beatles. Godard não foi preso e rumou para o Canadá poucos dias depois sem terminar o filme. Estava fechado o ano de 1968.

Facebooktwitterredditpinterestmail
[ssba]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *