“A minha idéia é fazer o retrato do Brasil através de uma cidade”

Bacana demais a entrevista do Leandro Lehart pra SOMA desse mês. Recomendo fortemente pra quem acha que ele era apenas o cara do Art Popular ou pra quem acha que o samba paulistano se resume a Adoniran Barbosa — a bem da verdade, mais no primeiro que no segundo, eu me incluía nesses casos.

Uma outra coisa que precisa ser desmistificada é a transformação do Adoniran Barbosa na síntese do samba de São Paulo. O samba paulistano é muito negro. O samba negro da Barra Funda, da Bela Vista não é muito conhecido. O Geraldo Filme teve grande influência do samba rural, do interior do estado. Fica parecendo que o samba daqui é só “Saudosa Maloca”, “Trem das Onze”, e não é. Quem vai nas escolas de samba tem outras referências. Na década de 80, os grandes sambas-enredo falavam sobre negritude, preconceito. Acho que tem uma influência muito grande do movimento Black Power norte-americano dos anos 70. De quinze sambas do CD que eu gravei, tem uns nove ou dez que abordam temas afro.

Esse resgate da cultura paulista(na) é que faz falta.

foto do site da SOMA

Facebooktwitterredditpinterestmail
[ssba]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *