Quando J Dilla veio ao Brasil

In the middle of 05 Eric, Madlib and I had the chance to take Dilla to Brasil. He was so excited that he left an “I’m out Brasilian style…” message on his voice mail for like three months. Dilla didn’t see that much of Brasil really because of his illness but he didn’t complain once – he was happy to be there – “It was part of his dream…” Mrs. Yancey told me at the removal on Tuesday.

Quem conta a história é Brian Cross, metade do Mochilla. A produtora trouxe Dilla ao Brasil por ocasião da estreia do documentário Keepintime. A fita, dirigida por Cross, documenta uma jam de vários DJs e músicos norte-americanos, como NuMark, Cut Chemist e Madlib.

Esse Buena Vista Social Clube dos beats foi chamado para tocar no Brasil em 2002. B+, como é chamado Cross, resolveu filmar a aventura tropical dos mestres de lá e seu encontro com mestres de cá, como Nuts e Primo. Deu no Brasilintime.

Provavelmente, Dilla não participou de tudo isso por conta de seu estado de saúde debilitado. Isso não impediu que ele viesse ao país, enfim, em 2005, talvez ciceroneado pelo parceiro e amigo Madlib (ao fundo na foto). Morto no ano seguinte, infelizmente não foi possível ouvir as transmutações sônicas operadas por Dilla Dawg com as pedras garimpadas na terra.

Bônus: a incrível série de fotos que Brian Cross fez em São Paulo.

Facebooktwitterredditpinterestmail
[ssba]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *